11 de maio de 2017

Puntos dolorosos

Bom Dia:

Continuamos tentando chegar à frente nesta para ajudar e apoiar. Estamos muito claro que estamos problema de saúde não profissional ou qualquer coisa assim, então nós apenas tentamos acompanhar as pessoas que precisam de nós de muitas maneiras: por whatssap, levando-nos uma cortada, conversando, telefone, etc. Esse é o nosso caminho; Eu não vou ser o melhor, mas que algumas pessoas têm e ajuda-los.

Amanhã é o Dia Mundial da Fibromialgia e irmãs misnamed “doenças invisíveis”. Eles podem ser doenças que não vão na evidência de que somos, mas as pessoas que sofrem não têm nada invisível, de fato, sempre estamos em uma luta tremenda contra o nosso corpo para se levantar e chegar à frente na vida, porque é isso que nós fazemos, nós chegar à frente na vida.

Ontem eu fui a uma reunião do colégio dos meus filhos e eu levei a agradável surpresa que duas mães ler o blog. Os dois me disseram que parecia uma tremenda ajuda para pessoas que sofrem destas doenças; você diz que é algo que você lembra do que você criou isso, para ajudar e apoiar. Graças a estas duas mães para dizer obrigado, porque às vezes eu esqueço que isso ajude e me desmoralizado pensando no que eu expor tanto a minha vida e minha privacidade a falar sobre meus sentimentos, minha dor e minha vida em geral.

É uma vergonha e me entristece que a comunicação é tão complicado em alguns casos e algumas pessoas acham que eu danificado por algum motivo. Eu nunca alegou, nem deixe-me prejudicar ou prejudicar alguém sem, é claro que quero dizer alguém que eu veja. É muito difícil trazer posições quando não podemos ver as pessoas que têm como alvo, mas esta é a vida, com seus altos e baixos e tudo o que isso implica. Ela nos afeta mais, sim, é.

Amanhã é o grande dia, o dia em que deve nos fazer ouvir, cada um à sua maneira, mas tentando alcançar o maior número de pessoas. Amanhã doente ou saudável, devemos fazer um buraco no nosso dia-a apoiar aqueles que sofrem com essas doenças e abandono social; amanhã temos de mostrar ao mundo que somos, nós existimos, nós sofremos e que merece ser tratado melhor do que continuar lutando com a nossa doença e para dar ao mundo o melhor que você tem em cada caso. Precisamos de ajuda; Precisamos mãos e vozes reivindicando nossos direitos como pacientes, como cidadãos e como pessoas. AMANHÃ É O DIA

María Díaz.